Seguidores

Acompanhem o blog PAGINCA.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Comentário de I Pedro 1:7

Por Rouver Júnior


INTRODUÇÃO

É importante e necessário estar os eleitos, por um pouco de tempo, sofrendo intimamente o sentimento incômodo gerado pelas numerosas tentações advindas sobre si, com o objetivo de que o processo pelo qual passa o nosso firme fundamento da esperança, sendo também a prova do invisível, se encontre "em louvor, e honra, e glória", quando Cristo Jesus manifestar-se com grande glória e poder.


TEXTO DE BASE

"Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo;" [1Pe 1:7]


COMENTÁRIO

"Para que a prova da vossa fé" - Sabemos que as dificuldades pelas quais passam os eleitos têm o intuito de provar a nossa fé.

A prova é um processo, com começo e fim, no qual alguma coisa é submetida a circunstâncias específicas visando verificar se essa coisa realmente se encontra apta para determinado fim.

Daí vemos que, se nossa fé é provada, ela logo passa por um processo, no qual é submetida a circunstâncias específicas para que se verifique se ela está apta para algum fim.

As circunstâncias pelas quais a nossa fé passa a fim de ser provada são as tentações, de modo a sermos experimentados e verificados se somos aptos para entrarmos nas moradas celestes.

É claro que, por fim, em tudo, não haverá mérito nosso algum, porque até a fé que temos vem de Deus, porque ela vem pelo ouvir e o ouvir pela palavra de Deus. Assim, a prova pode ser encarada como uma verificação do estado de nossa fé e como processo de aperfeiçoamento. Quanto a Deus, a prova é um processo de aperfeiçoamento que Ele nos concede.

"muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo" - A fé dos eleitos de Deus para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo é, quanto ao valor, muito superior ao ouro. Este é o material mais valioso existente sobre a terra, mas a fé dos servos de Deus é "muito mais preciosa do que o ouro".

Outro tanto, a fé é imaterial e o ouro matéria, sendo que, por assim ser, o ouro se estraga com o passar do tempo. Mas a fé dos cristãos se aperfeiçoa.

Vejamos, porém, que o ouro, matéria e, portanto, perecível e corruptível, é provado pelo fogo e o vence. As chamas não destroem o ouro. Ele também é submetido a circunstâncias específicas para a verificação de sua aptidão a um fim. Ele é provado e vence a prova, sendo perecível.

O ouro passa pelo fogo. Antes do início da prova, ele se encontra em uma forma inadequada. Sendo provado, sofre na ardência das chamas e se derrete. Depois, por haver se derretido, pode ser moldado de acordo com a vontade do ourives, que faz dele um anel de honra, por exemplo. Terminada a prova, o ouro derretido se endurece novamente, mas agora com nova forma e purificado da impureza anterior.

Assim a fé. Antes da prova, a fé está formalmente inadequada. Com as tentações resistidas, como que passando pelo fogo, ela se derrete com o sofrimento, mas não deixa de ser fé. Depois de derretida, pode ser moldada de acordo com a vontade do Autor e Consumador da fé, Jesus Cristo, que faz dela um sinal de louvor, de honra e de glória. Terminada a prova, a fé se fortalece e agora na forma adequada e livre de qualquer imperfeição.

"na revelação de Jesus Cristo" - Vale entender que o resultado não acontecerá em qualquer tempo, mas tem um momento certo de dar-se: "na revelação de Jesus Cristo". Passaremos por tentações na terra, porque temos no mundo aflições, mas quando o Cordeiro de Deus manifestar-se aos olhos de toda a criatura, quando todo o joelho dobrar-se e toda a língua confessar que Jesus Cristo é o Senhor, então ouviremos do Senhor Jesus: "Vinde, benditos de meu Pai, possui por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;" [Mt 25:34], isto é, a prova de nossa fé se achará "em louvor, e honra, e glória".

Vale notar, neste versículo fala-se de prova da fé e de fogo, havendo I Pedro sido escrita possivelmente no ano 63 d.C. e endereçada a habitantes de províncias romanas. Em 64 d.C. foi posto fogo em Roma e os cristãos romanos foram fortemente torturados e passaram pelo fogo, sendo queimados vivos. Sendo a Carta escrita em 63 d.C., é interessante perceber 1Pe 4:12, que diz: "Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse;"

Em conclusão do texto, a prova vem ardendo como fogo, derretemo-nos no ardor das tentações, mas, perseverando, o Senhor nos molda pela sua vontade; a prova termina e a prova de nossa fé é achada "em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo".

5 comentários:

Strong_Wind 16 de janeiro de 2009 11:48  

Tranquilo irmão!
Comentário publicado!
DCTAG!

Ismaelita Nascimento 9 de fevereiro de 2009 22:07  

"todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados por seu decreto." [Rm 8:28]
maravilha este artigo amém

Rouver Júnior 9 de fevereiro de 2009 22:29  

Ismaelita,

A paz de Cristo Jesus.

Fico feliz pelo teu comentário.

Muito obrigado.

Sonia Regly 22 de fevereiro de 2009 01:04  

Amigo,
Obrigada por visitar o Compartilhando as Letras.Muito bom seu Blog, amei!!!!Coloquei uma linda postagem: Voltando para o Senhor, passe por lá deixe sua opinião, ela é importante.

Rouver Júnior 22 de fevereiro de 2009 18:30  

A paz do Senhor Jesus.

Sonia Regly,

Tua postagem já está comentada.

É Deus quem nos abençoa.

Se possível visite também o http://paginca.blogspot.com.

Fica com Deus.

  © Blogger template 'Perfection' by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP